Clínica médica

O que é anemia

A anemia é uma doença sanguínea que se caracteriza pelo baixo nível de hemoglobina. Essa substância, por sua vez, se refere à proteína responsável pelo transporte de oxigênio através do sangue. Portanto, quando o paciente apresenta algum nível de anemia em um exame, consta-se uma diminuição no deslocamento do oxigênio pelo corpo.

Apesar de ser resultado de muitos fatores, a condição geralmente ocorre quando há alguma deficiência de ferro no organismo. Para esse tipo de doença dá-se o nome de anemia ferropriva, com cerca de 90% das incidências entre os pacientes anêmicos. Isso se deve ao fato de o ferro ser um nutriente fundamental para a saúde das pessoas. Até porque ele é um dos responsáveis pela produção das células vermelhas e pelo respectivo transporte de oxigênio para as células.

Ainda que a anemia atinja qualquer faixa etária, independendo do sexo, a patologia geralmente acomete crianças, gestantes, meninas adolescentes e mulheres durante períodos de reprodução. Entre os pacientes do sexo masculino, a condição comumente ocorre durante a terceira idade.

Classificação 

A anemia é classificada em dois tipos distintos. A hereditária ou a adquirida.

Anemia hereditária: ocorre quando o índice baixo de hemoglobina provém de fatores genéticos, em que o indivíduo já possui tendência a sofrer com alguma deficiência na produção dos glóbulos vermelhos, conhecida também como microcitose.

Anemia adquirida: pode se manifestar em qualquer pessoa, independentemente de sua faixa etária. Entre esses tipos de anemia, a carência de nutrientes ou alterações na medula óssea, são os fatores mais preponderantes. Como já citado, no que se refere à falta de vitamina, como o ferro, o tipo ferropriva é o mais comum. Quando há problemas na medula óssea, a leucemia ou a síndrome mielodisplásica são duas das doenças que mais provocam um quadro de anemia entre os pacientes.

O baixo nível de hemoglobina encontrado no sangue também pode ser originado por fatores que não estão ligados diretamente ao sangue. Ou seja, por meio de doenças capazes de levar um indivíduo a sofrer de anemia. Patologias reumatológicas, infecciosas, renais e até hormonais podem, por muitas vezes, provocar anemia.

Tipos 

Existem variações de anemias, causadas pela falta de nutriente ou até mesmo pela interrupção da produção da medula óssea. Conheça os principais tipos a seguir:

Aplástica: anemia rara decorrente da destruição da medula óssea. Esta, por sua vez, é substituída por gorduras incapazes de produzir células de forma adequada. O paciente, nesse caso, geralmente sofre com alguma condição autoimune, ou simplesmente foi exposto a alguma substância tóxica. Inclusive, ela é grave, podendo causar anemia profunda.

Falciforme: caracterizada por sua hereditariedade, esse tipo de condição compromete a integridade celular, fazendo com que as células se rompam com mais facilidade.

Ferropriva: decorrente da deficiência de ferro no organismo.

Hemolítica: ocorre quando a destruição dos glóbulos vermelhos no sangue se dá de forma antecipada, sem que a medula óssea possa efetuar sua reposição adequada.

Hemorrágica: como o próprio nome entrega, essa anemia ocorre quando há perda significativa de sangue. Seja decorrente de algum acidente, ou até mesmo durante períodos de menstruação. Por isso esse tipo é tão comum em mulheres mais jovens.

Megaloblástica: quando há deficiência de vitamina B12 no organismo. Geralmente acomete pessoas que não consomem carnes, ovos e leites em sua dieta.

Causada por outras doenças: algumas doenças podem ter ligação direta com o surgimento da anemia. Isso se deve às patologias que dificultam a produção de glóbulos vermelhos no organismo, por meio dos mais variados mecanismos.

Sintomas 

Dentre os sintomas de anemia mais comuns, destaca-se a fadiga e a palidez. Esses são os sinais clássicos de uma pessoa que sofre com o baixo número de hemoglobinas no sangue. Além disso, o paciente pode apresentar quadros de taquicardia, falta de ar, tontura e dor de cabeça.

Algumas vezes, os sintomas da anemia incluem queda de cabelo e fragilidade nas unhas, que tendem a quebrar com mais facilidade diante dessa condição clínica.

Tratamento  

Existem vários tratamentos para anemia, de acordo com o tipo e o grau da doença. Inclusive, muitas vezes a recuperação se dá pelo tratamento de uma patologia específica, que está relacionada diretamente com a anemia. É o caso das disfunções que causam hemorragias.

Na ferropriva, a boa alimentação para anemia é recomendada, sobretudo para uma dieta baseada em ferro. Nesse caso, alguns medicamentos podem ser adicionados no tratamento dessa condição.

Na deficiência de vitamina B12, o que é bom para anemia são as injeções do nutriente em falta no organismo. Já na anemia aplástica, muitas vezes a recuperação se dá por meio da transfusão de sangue, para reposição de glóbulos vermelhos em falta.

Por fim, na anemia falciforme, o hematologista responsável pelo tratamento geralmente prescreve administração de oxigênio, além de medicamentos intravenosos para a prevenção de complicações.

Rua Brigadeiro Gavião Peixoto, 389

Lapa - São Paulo - SP

CEP: 05078-000

Telefone principal / WhatsApp
(11) 3643-5833

Telefone alternativo
(11) 3832-9880