Dermatologia

 

O verão é uma das épocas mais esperadas pelos brasileiros por ser o período que alia festas, férias e clima favorável para praticar atividades ao ar livre, ir à praia ou até mesmo pegar uma piscina. Ao que tudo indica, essa combinação parece inofensiva, mas reúne muitos elementos que podem ser prejudiciais para a pele: sol, areia, água do mar, cloro e, até mesmo, o suor.

Isso pode culminar em diversos riscos para a pele porque durante o verão os raios solares incidem com maior intensidade na derme, elevando, principalmente, o risco de queimaduras na pele.

Por isso, é fundamental que, antes de desfrutar de tudo o que o verão tem a oferecer, tomar algumas medidas para evitar problemas como ressecamentos, manchas na pele e alergias.

Principais doenças de pele no verão e como evitá-las

Micoses

As infecções podem ocorrer em qualquer idade e são causadas por fungos que acometem principalmente os pés, virilha e as unhas (entretanto, isso não significa que a doença não possa aparecer em outras partes do corpo) e se reproduzem gerando a doença. Esses fungos proliferam-se quando encontram condições propícias como calor, umidade e baixa de imunidade.

A melhor forma de evitar a doença é criando hábitos diários de higiene, como:

- Secar-se bem após o banho, principalmente nas áreas que geralmente são as mais afetadas;

- Evitar andar descalço em pisos úmidos como vestiários e saunas;

- Evitar calçados fechados, preferindo aqueles que são mais largos e ventilados.

Como é uma doença causada por fungos e pode ser transmitida facilmente de uma pessoa para a outra, é recomendável levar o próprio material quando for à manicure; passar protetor solar; hidratar a pele; e no, caso de reincidência, realizar uma consulta com o médico dermatologista.

Se o paciente sofrer com suor excessivo é recomendável, ainda, secar essas áreas com uma toalha de papel durante o dia ou passar talco anti-transpirante nos pés.

Brotoejas

São pequenas bolinhas aglomeradas que surgem por causa do contato da pele com o suor. Em sua grande maioria acometem os bebês, podendo ser transparentes e não coçarem tanto, ou podem ter característica mais avermelhada e coçar bastante.

Os cuidados para prevenção envolvem usar roupas leves e soltas e evitar ambientes abafados que propiciem o suor da pele.

Manchas e sardas brancas

Elas aparecem de forma gradativa e representam os danos causados pelos raios solares. As manchas senis ou melanoses solares são de coloração escura e surgem em áreas que ficam muito expostas ao sol (no colo, rosto, dorso das mãos e braços e ombros). Já as sardas brancas surgem quando há ação acumulativa de radiação solar sobre algumas áreas expostas ao sol de forma prolongada e repetida ao longo dos anos.

Os tratamentos para esses tipos de manchas podem variar indo desde cremes clareadores até procedimentos estéticos como peeling e luz pulsada para aliviar os sintomas.

A melhor forma de evitar essas manchas indesejáveis é passando protetor solar. Se, porventura, o paciente já tiver sido acometido por esse tipo de lesão, vale lembrar que elas são benignas e não evoluem para nenhum tipo de câncer de pele. Contudo, é fundamental que o paciente passe pela avaliação de um médico dermatologista para descartar qualquer outra hipótese de doença.

Acne solar

É causada por uma combinação de fatores como o aumento da oleosidade na pele, suor, radiação solar e até somado com uso do próprio protetor.

Para se prevenir dessa inflamação na pele, é recomendável realizar hidratação, lavando o rosto com sabonete específico para evitar oleosidade, utilizar tônicos adstringentes e filtros solares com base aquosa ou em gel.

Ressecamento da pele e dos cabelos

Componentes como água do mar e cloro são propícios para deixar as madeixas com aspecto danificado e ressecado, o que também acontece com a nossa pele que, após uma temporada de verão intenso também pode ficar com aspecto áspero, queimado e, pior ainda, descascar.

Para que essa situação não aconteça, é recomendável o uso de hidratantes para o corpo e óleo de semente de uva diariamente após o banho, para tratar da pele. Para os cabelos serem protegidos contra o ressecamento, a dica é a utilização de máscaras hidratantes com mais frequência.

Uso do protetor solar

Ele é o maior aliado durante o período de férias, mas é preciso usá-lo corretamente, ou a proteção que ele proporciona pode não funcionar. Se a pessoa estiver em um local de grande exposição ao sol, como as praias, o protetor deverá ser aplicado a cada duas horas. No caso da exposição ser ainda mais intensa, o médico dermatologista recomenda aumentar o grau do fator de proteção do produto.

Para não danificar a pele, recomenda-se fator solar entre 30 e 40 para uso diário e acima de 50 em situações de exposição muito alta. Os turistas devem também se atentar aos horários mais críticos de exposição solar – período entre as 10h e 16h. Também é importante usar óculos escuros, bonés e chapéus – de preferência com abas grandes.

Hidratação constante

Manter a pele saudável, como vimos, é uma tarefa árdua que requer uma série de fatores e cuidados, mas essa hidratação não é feita somente com o uso de cremes e hidratantes, o uso de loções e águas termais também pode auxiliar muito para manter a pele hidratada. Além disso, recomenda-se a ingestão de, pelo menos, dois litros de água diariamente, mantendo todos os órgãos irrigados e funcionando plenamente.

Limpeza de pele

Além de todos esses cuidados, outra dica que pode ajudar muito na manutenção para a saúde da pele é fazer limpeza diária com sabonete e tônico facial. Lembrando que produtos como esfoliantes não devem ser utilizados mais de uma vez por semana para não danificar a pele. Periodicamente, pacientes que sofrem com a pele muito oleosa, por exemplo, podem passar por procedimento de limpeza de pele com esteticista para melhor resultado.

Rua Brigadeiro Gavião Peixoto, 389

Lapa - São Paulo - SP

CEP: 05078-000

Telefone principal / WhatsApp
(11) 3643-5833

Telefone alternativo
(11) 3832-9880