Geriatria

Quando procurar um geriatra?

O geriatra é o médico responsável por cuidar da saúde do idoso, principalmente para fazer diagnósticos ou tratar doenças crônicas ou delicadas. O processo de envelhecimento começa, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, aos 65 anos de idade e conta com uma série de mudanças que vão acontecendo no nosso corpo a medida que o tempo passa. São essas mudanças que acabam, inclusive, fragilizando o indivíduo e deixando o corpo mais vulnerável para doenças. O médico geriatra é, então, quem ajuda a promover um envelhecimento saudável e a garantir uma qualidade de vida ao paciente da terceira idade.

Por causa da grande quantidade de mudanças naturais que acontecem no organismo com o envelhecimento, muitas vezes as pessoas têm bastante dificuldade de saber quando devem procurar um geriatra. É importante lembrar que o geriatra trata não apenas de doenças específicas que são comuns dessa fase – como a osteoporose, diabetes, hipertensão arterial, Mal de Alzheimer, entre muitas outras – mas também de problemas que tem múltiplas causas ou que são considerados mais simples – como infecções ou incontinência urinária, tendência a quedas, tonturas, gripes e muito mais –, além de auxiliar na prevenção e reabilitação do paciente. É recomendado que qualquer pessoa com mais de 65 anos passe a se consultar regularmente com o geriatra e não apenas no caso de algum sintoma.

O geriatra é muito importante no cuidado do idoso por ter uma visão do paciente bem diferente da dos demais especialistas, que muitas vezes é mais completa e geral. É quase como um clínico geral ou um pediatra, que cuida de crianças, mas entendendo cada particularidade do idoso e do processo de envelhecimento. É ele quem vai identificar síndromes que possam envolver mais de uma especialidade médica ou ainda quem poderá encaminhar o paciente para um diagnóstico e tratamento mais exato, com a ajuda de outros especialistas.

Como já comentamos, é muito comum que, na velhice, o que podem ser sintomas sejam confundidos com alterações próprias do envelhecimento. Sinais como perda de memória, tonturas, cansaço, alterações de humor, dificuldade em movimentos simples do dia a dia podem indicar uma doença grave. Neste caso, o acompanhamento do geriatra é ainda mais essencial pois quanto antes ocorrer o diagnóstico, melhor será a recuperação.

O médico geriatra pode atender no consultório médico, instituições de longa permanência, hospitais ou mesmo em domicílio, podendo variar bastante de acordo com o próprio médico e também conforme a necessidade do paciente. Procure sempre pelo profissional mais adequado, que auxiliará não apenas no tratamento, mas também na prevenção de doenças e na garantia da qualidade de vida, enxergando a totalidade do paciente e dando todo o acolhimento e suporte que ele precisa.

Quais são as principais doenças e transtornos tratados pelo geriatra?

São várias as doenças e transtornos que podem ser tratados pelo médico geriatra, com ou sem a ajuda do especialista – o próprio profissional indicará quando for necessário. Podemos, porém, destacar algumas principais que são bem comuns na velhice.

As demências ou distúrbios de memória são doenças neurológicas, ou seja, que afetam o cérebro e algumas de suas funções mais importantes, como a própria memória, a comunicação, a orientação e até mesmo a atenção. O Mal de Parkinson e o Mal de Alzheimer, por exemplo, são duas doenças neurológicas famosas por se desenvolverem principalmente mas não apenas em idosos. Os sintomas são justamente essas alterações que acontecem nas funções mentais.

Outra condição comum é a Hipertensão. Ela ocorre quando há um excesso de força do sangue contra a parede das artérias e, por isso, a pressão arterial é marcada acima de 14/9. Em casos mais graves, pode chegar a marcar até acima de 18/12, trazendo sérios riscos. Quando diagnosticada, exige um monitoramento do próprio idoso ou pessoa responsável, além do acompanhamento do geriatra. Apesar de não apresentar sintomas, a Hipertensão pode causar doenças cardíacas ou até um infarto quando não é devidamente tratada.

O Infarto ou ataque cardíaco seria o entupimento arterial, que bloqueia o fluxo sanguíneo. Geralmente é causado por doenças como colesterol alto, hipertensão e tabagismo, podendo estar ligado também a obesidade – caracterizada pelo excesso de gordura corporal, que traz ainda mais riscos à saúde do idoso. Manter uma alimentação saudável é a maneira mais eficaz de prevenir o Infarto e tratar essas doenças, sempre com o devido acompanhamento médico.

Existem ainda as doenças ósseas, que podem aparecer, combinada a outros fatores, por causa de um desgaste natural dos ossos e articulações que é provocado pelo processo de envelhecimento. As mais comuns são osteoporose, osteomalácia e osteoartrose – que apesar dos nomes parecidos, são doenças bem diferentes. As três, porém, podem ou não apresentar sintomas como dores ou certa imobilidade ao realizar movimentos comuns do dia a dia, como se sentar, deitar e caminhar.

A incontinência urinária, que se trata da liberação involuntária da urina; a diabetes, causada pelo alto nível de açúcar no sangue; a pneumonia, que se trata da inflamação dos pulmões e pode ser também prevenida pela vacina da gripe e da pneumonia; e o câncer ou simplesmente os tumores malignos, são outras doenças que aparecem na velhice e podem ser identificadas pelo médico geriatra.

É importante lembrar que em alguns casos os diagnósticos e tratamentos são mais complicados e devem envolver não apenas um geriatra, mas também um conjunto de outros profissionais especialistas da medicina, como cardiologistas, neurologistas, ortopedistas, fisioterapeutas, nutrólogos, entre muitos outros.

Rua Brigadeiro Gavião Peixoto, 389

Lapa - São Paulo - SP

CEP: 05078-000

Telefone principal / WhatsApp
(11) 3643-5833

Telefone alternativo
(11) 3832-9880