Urologia

O que é o câncer de próstata?

Quando mencionamos algum tipo de câncer, normalmente ele é associado com uma doença que mata. De fato, é uma doença que pode levar ao óbito, mas existe uma série de precauções que podem – e devem ser tomadas – como prevenção e caso for diagnosticada, quanto mais precoce, maiores serão as chances de cura. Principalmente no caso do câncer de próstata que tem como uma das características o lento desenvolvimento.

A próstata é uma pequena glândula e tem a função de produzir parte do líquido que ajuda na formação do esperma e está localizada entre a bexiga e o pênis, na frente do intestino reto. As alterações nesse órgão podem ser originadas por vários fatores.

No caso de câncer, esse tipo de tumor cresce de forma lenta e gradual, o que dificulta muito sua percepção. Existem casos em que ele pode levar até 15 anos para atingir um centímetro e, durante esse processo, ele tende a não apresentar sintomas. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo que mais acomete os homens, a doença perde apenas para o câncer de pele.

A possibilidade de cura existe e é a retirada total da próstata, que está diretamente ligada a demora ou não em identificar o diagnóstico. Por isso foram criadas campanhas como o novembro azul que incentiva a realização de exame de toque retal para prevenção do câncer de próstata e a conscientização em torno do tema.

Quais são as causas?

O câncer, no geral, é causado por causa do crescimento e multiplicação anormal das células. No caso da próstata não é diferente, embora não exista uma causa específica para o surgimento de câncer no local.

Se descoberta tardiamente, o resultado pode ser fatal. Isso acontece porque, conforme o estágio da doença avança mais mutações ocorrem, e ela se torna mais agressiva.

O fator hereditariedade é considerado importante, mas representa somente 15% dos casos dos tumores na próstata, sendo que em 85% dos casos acontecem em pacientes que não possuem histórico familiar da doença.

Esse tipo de tumor tem algumas características peculiares. Por exemplo, ele se manifesta nos homens, geralmente, após os 50 anos sendo que um a cada quatro casos desse tipo de câncer no mundo todo ocorrem após os 65 anos.

Sintomas mais comuns

Alguns sintomas que podem indicar a presença do câncer de próstata são: dificuldade em urinar; ardência quando o faz; sensação de que a bexiga ainda está cheia mesmo após urinar; urina escura; dor ao ejacular; e sêmen com coloração escura.

Em estágio avançado, é possível que o paciente sinta dor nos ossos, o surgimento de infecções e até mesmo a compressão da uretra. Esses sintomas são sinais de que a doença já está se espalhando pelo organismo.

Como ela quase não manifesta sintomas quando está em sua fase inicial, é importante que após os 45 anos os homens realizem o exame de toque retal periodicamente.

Mas se houver a presença de algum fator de risco, principalmente, histórico familiar, o ideal é que ele faça exames preventivos antes mesmo dos 40 anos. E após consulta médica, o profissional da saúde irá indicar a periodicidade que o paciente deve manter para a realização de novos exames.

Fatores de risco

Pacientes com histórico familiar da doença tem o dobro de chances de desenvolvê-la. Se o paciente tiver menos de 65 anos e, um membro da família afetado, o risco de manifestar a doença aumenta de 6 a 11 vezes.

Outras características de risco têm conotação controlável e podem variar, dependendo do estilo de vida de cada pessoa. Outros fatores que contam são obesidade, índice de qualidade de vida e sedentarismo. A exposição a derivados de borracha e substâncias como ferro, cromo, chumbo e cádmio também pode resultar no surgimento da doença.

Como diagnosticar?

Quando os sintomas não estão presentes, o diagnóstico pode ser feito através do exame de toque retal e pela quantidade de um componente sanguíneo (o PSA). No entanto, esses exames por si só, na maioria dos casos não são suficientes para saber se o paciente é portador de câncer ou não, eles apenas apontam a necessidade de realizar outros exames. Além do câncer, o exame de toque retal pode identificar outros problemas na próstata.

Estatisticamente, 20% dos homens com câncer de próstata e manifestação de sintomas apresentam fator PSA normal e conforme a localização do nódulo na próstata, ele pode não ser palpável. A melhor chance de obter um resultado assertivo é realizando os dois exames simultaneamente.

No caso do diagnóstico ser positivo, é importante se atentar ao estágio em que a doença está. Essas fases podem ser: estágio A (tumor não identificável por toque); estágio B (tumor que é palpável e percebido através de exames de imagem); estágio C (já atingiu as vesículas seminais que estão próximas à próstata); estágio D (já está na fase de metástase e se espalhou para outros órgãos).

Tratamentos disponíveis

Após verificar o grau da doença com a devida avaliação do paciente, o médico irá indicar o procedimento mais viável para cada situação. O tratamento do câncer de próstata é denominado prostatectomia radical, que nada mais é do que a retirada total da próstata e vesículas seminais, removendo o câncer por completo. É indicado quando o câncer está em estágio inicial e ainda localizado (não se espalhou pelo organismo).

O médico também pode optar por tratamentos como radioterapia (quando o tumor atingiu apenas órgãos mais próximos) ou quimioterapia (pode ser feito de forma simultânea e tem como objetivo excluir as células cancerígenas do organismo).

O câncer de próstata é uma doença séria que pode ser fatal, por isso é importante existir essa conscientização sobre a importância da devida realização dos exames. Campanhas como o novembro azul colaboram para difundir e disseminar essa prática.

Rua Brigadeiro Gavião Peixoto, 389

Lapa - São Paulo - SP

CEP: 05078-000

Telefone: (11) 3643-5833